ENTRE

ENTRE foi desenvolvida especialmente para a galeria EBA7 para a Mostra Imagem Experimento. A proposta de projetar nos vidros que davam para o corredor repercutiu na segmentação do corpo entre imagem e dados, explorando a divisão física dos vidros. Além disso, a virtualidade dos corpos sob dois aspectos: temporal e espacial. A temporalidade da experiência foi evidenciada devido ao espaço que se encontra a galeria, um local de passagem, o corredor da Escola de Belas Artes da UFRJ, desta forma os corpos que ali passavam, ali permaneciam, ainda que virtualmente através de seus registros digitais. Os corpos digitais vivem na fronteira, exatamente o que determina o espaço entre interior e o exterior da galeria: o vidro, que funciona para assistir as experiências também por fora do espaço expositivo propriamente dito.

Mais informações sobre o processo de criação no blog CTRL+.